S.O.S. PORTUGUÊS de A a Z















Preço alto ou Preço caro? 

Não existe preço barato ou preço caro. O  produto é que pode ser caro ou  barato. Só existe preço alto  ou  baixo. Exemplos: 

1) Esse televisor é muito caro.

2) O preço desse  televisor é muito alto.

Acerto (ê), asserto (ê). 

São palavras homófonas. Têm a mesma pronúncia, mas escritas e significados diferentes. Acerto é o ato de acertar; ajuste, acordo. Asserto: afirmação; assertiva; asserção; proposição afirmativa. Exemplos:

1) Nosso acerto foi outro.

2) Seu asserto tem sentido amplo e confuso.

Sanguessuga

S.f. Significa verme o qual se liga aos animais a fim de sugar-lhe o sangue. Quando, no entanto, se quer referir, por exemplo, aos parlamentares envolvidos no caso das ambulâncias, deve-se usar a concordância ideológica, ou seja, com a ideia subentendida: parlamentares ou deputados. Deve-se, assim, usar os sanguessugas, significando os parlamentares ou deputados sanguessugas. Se se usar as sanguessugas não há como justificar que não se referem às vermes sanguessugas.

A personagem ou o personagem?

A melhor construção é no feminino, no entanto há autores que admitem o masculino, quando se quer definir a cada uma das pessoas que figuram numa peça teatral ou em uma narração, sem lhe concretizar o sexo. É, portanto, substantivo de dois gêneros. Ex.:

1) A criança é um dos personagens mais puros da peça.

2) A personagem do filme é a mais doce das mulheres. 

Faz dois dias ou fazem dois dias?

Fazer com ideia de tempo é impessoal, ficando na 3a pessoa do singular. Ex.:

1) Faz dois dias que não vejo meus filhos.
2) “Aqui faz verões terríveis” (Camilo Castelo Branco). 

Mais de um saiu ou saíram? 

Com mais de um, o verbo fica, geralmente, no singular. Exemplos:

1) Mais de um menino foi atropelado nesta avenida.

2) Mais de uma mulher já amoleceu meu coração.

ATENÇÃO!

1) Quando o verbo indicar reciprocidadea ideia passa a ser de plural, assim o verbo irá para o plural. Exemplo:

a) Mais de um dos conferencistas se entreolharam no mesmo instante.

2) Se não for mais de um, todavia mais de doismais de três, etc., o verbo irá para o plural. Exemplo:


a) Mais de dez alunos saíram da sala.

Abdicar. 

Significa renunciar, desistir de. Normalmente se encontra como verbo transitivo direto (T.d.); renunciar, por vontade própria, o poder, o cargo, o título; outras vezes, como transitivo indireto (T.i.), com preposição de; ora como intransitivo (Int.), ora como pronominal (Pron.). Exemplos:

1) “D. Pedro I abdicou em 1831”. Int. (Domingos Paschoal Cegala. Novíssima Gramática da Língua Portuguesa).
2) Só abdicarei de meus direitos, quando eu não existir mais (T.i.).
3) A nubente abdicou o título de rainha (T.d.).
4) Abdicou-se dos privilégios políticos (Pron.).


Acabamento final. 

Acabamento significa tratamento final, feição final, estágio final, portanto todo acabamento é no final, por isso evite usar a expressão acabamento final. Evite essa tautologia, redundância, usando apenas uma ideia. Ex.:


1) Ele fez um acabamento de qualidade.

Bela caligrafia. 

Caligrafia, significa etimologicamente  letra bonita, portanto constitui pleonasmo. Acontece, no entanto, que sincronicamente ela assumiu o significado de arte de escrever à mão segundo determinadas regras e modelos; maneira própria de cada pessoa no uso dessa arte; letra; forma de letra manuscrita. Assim, é aceita e é até a forma mais usada. Exemplo:

1) Ele tem uma caligrafia ininteligível.

Bastante, bastantes.

Usa-se bastante, invariável, quando advérbio, modificando, portanto, um advérbio, um verbo ou um adjetivo e pode ser substituído pelo advérbio de intensidade muito. Exemplos: 

1) Nestas férias, dormi bastante.
2) Dizem que escrevo bastante bem.
3) Procurei ser bastante simpático.
   
Use bastantes, variável, quando precede um substantivo ou pospõe-se a ele, substantivo. Ex.:

1) Há bastantes moedas aqui (pronome adj. indefinido).
2); Não há moedas bastantes aqui (adjetivo).
3) Eu já disse, bastantes vezes, que este trabalho é muito útil.
4) “Bastantes vergonha custara ao pobre pai,” (Manuel Antônio de Almeida. Memórias de um Sargento de Milícias).

correto, corrigido.



 Correto é usado para indicar que algo não tem necessidade de ser modificado. Exprime o estado em que algo se encontra. 



Ex. O trabalho está correto, pode confiar.



● corrigido é usado para indicar que algo apresentava erro, mas foi corrigido pelo menos em parte. Exprime a ideia de ação não exercida, por isso precisou ser corrigida. 



Ex.: O trabalho já foi corrigido, confira.

com ou sem sal?



A expressão correta, embora pouco usada, é com sal ou sem ele ou com sal ou sem. Não é aconselhável usar duas preposições (com, sem) para um só substantivo (sal). Ex.:



1) Quer ovos com sal ou sem?

2) Quer ovos com sal ou sem ele?
                        
a princípio ou em princípio?



● A forma em princípio significa “antes de qualquer consideração; antes de tudo; antes de mais nada; em tese”. Exemplos:



1) Vou aceitar, mas, em princípio, quero mais esclarecimentos.

2) Em princípio, a verdade é o que interessa.



● A forma a princípio equivale a no início, inicialmente, antes de mais nadaEx.:



1) A princípio queria uma Mercedes, depois, um avião.

2) “... a vizinha dos maus agouros soltou uma exclamação de surpresa a princípio, supondo alguma asneira do compadre;” (Manuel Antônio de Almeida. Memórias de um Sargento de Milícias).
   
                            criação nova.                                            
     Quando se cria algo, cria-se o que ainda não foi criado, portanto, o novo. Não se cria o que não é novo, mas recria-se. Evite essa tautologia, redundância, esse pleonasmo, usando apenas uma ideia.

Ex.: 1) Eu aprecio muito esta minha última criação (adequado).
        2) O governo vai criar novos impostos (inadequado).

     Explicação: A expressão criar novos é da mesma família de subir pra cima, descer pra baixo, chutar com os pés etc. Já que não é viável criar nada velho, escreva-se, pois, apenas criar. Resolvido, então! A frase "2" inicial, depois de corrigida, fica assim:

2) O governo vai criar impostos.


                   haver, haverá, haverão.
                         Resultado de imagem para imagem de alguem lendo e escrevendo

● Quando impessoal, fica sempre na 3a pessoa do singular. É impessoal, quando empregado como existirter ou fazer, com ideia de tempo. Ex.:

1) Há vizinhos que não respeitam as leis da boa convivência.
2) Há vaga para alunos estudiosos no mercado. A impessoalidade é transferida para o auxiliar que o acompanha.
3) Devia haver mais de cem pessoas no auditório.
4) “Há de haver um poema, como teus olhares, cheio de busca, que fale de amor e de fúria” (V. Mourão. Poesia para quem ama. 2. ed. p. 14).
5) “Houve já dois anos que não víamos”. (M. de Assis. op. cit. em legenda. p. 411).
6) Houve casos que não resolvemos.

NB.: Jamais use houveram casos que não resolvemos;

● Quando usado como verbo auxiliar de verbo pessoal, flexiona-se normalmente, conforme a situação o exija. Ex.:

1) Elas haviam dito que não pediriam mais nada para os homens.
2) A veracidade dos fatos havia chegado no momento oportuno.



acrobata ou acróbata

S.2g. Ambos estão corretos e têm o mesmo significado. São formas variantes: variam na escrita e na pronúncia, mas com o mesmo significado. Indivíduo que executa exercícios de agilidade, força e destreza e se exibe em circos ou espetáculos.


amar a Deus ou amar Deus?  


O verbo amar é t.d., portanto não aceita preposição, mas nestes casos o -a é uma partícula meramente eufônica, não exerce a função de preposição, por isso é bem aceita. O mesmo ocorre com amar alguém ou amar a alguém.

a fim (separado) ou afim (junto)?



● Use a fim, separado, quando for equivalente a para, vier acompanhado de preposição expressa ou subentendida, sendo, portanto, locução prepositiva; ou for equivalente a com vontade. Ex.:



1) Fiz este trabalho a fim de resolver problemas. = Fiz este trabalho para resolver problemas.

2) Não, hoje eu não vou, porque não estou a fim. = Não, hoje eu não vou, porque não estou a fim de ir.

3) “a fim de fazê-lo acreditar que se ele voltava era arrastado,”. (Manuel Antônio de Almeida. Memórias de um Sargento de Milícias).



● Use afim, uma só palavra, quando for equivalente aos adjetivos semelhanteigual ou indicar parentesco.



1) Temos profissões afins. = Temos profissões semelhantes.

2) Daquela garota, sou parente afim (= parentesco).

 à distância ou a distância?


● Usa-se sem crase, quando a distância não vier determinada, visto que confirma o uso de simples preposição em. Ex.:

1) Quando ele viu a meninada a distância, parou de repente = Quando ele viu a meninada em distância, parou de repente

● Usa-se com crase, quando a distância vier determinada. Ex.:

1) Ele postou-se à distância de um tiro de baladeira.
2) “Lá estava o cão, dentro do cercado, deitado à distância de um alguidar de comida”. (Machado de Assis, Quincas Borba, 39)


adequar. Verbo defectivo: 


acomodar; adaptar; ajustar. Usado em todas as formas arrizotônicas (v.). Mais usado no infinitivo e no particípio. Pronuncia-se o ‘u’ do grupo ‘qu’. É mais usado na forma pronominal adequar-se. Exemplos:



1) Adequamos os gastos possíveis.

2) Isto não está adequado para você.

acostumar. Td.i. 



Usa-se com objeto direto e indireto. Ex.: Maria Júlia acostuma a mãe a dormir cedo.

destaque excepcional. 


O excepcional já é destaque e vice-versa. Evite essa tautologia, redundância, esse pleonasmo, usando apenas uma ideia. Exemplo: Ninguém tem destaque em sua terra natal.

última versão definitiva.



Última e definitiva são ideias redundantes, visto que versão definitiva já quer dizer última versão. Evite essa tautologia, redundância, esse pleonasmo, usando apenas uma ideia. Ex.:



1) Esta é a última versão da obra.

2) Esta é a versão definitiva.

alerta,  alerto.



● Use alerta, invariável, significando em atitude de quem vigia, de vigilância; de sobreaviso; atentamente; de prontidão. Ex.:



1) Estar alerta à noite é mais do que necessário.

2) É preciso ficar alerta na minha casa e no Ceará.

3) Para continuar alerta, preciso não sentir muito sono.



● Use alertasvariável, significando atento, vigilante, alertadoEx.:



1) São pessoas alertas, pois isso tudo é possível.

2) Se estão alertas, não precisa mais lhes chamar a atenção.



● Use alerto somente como forma masculina do verbo

alertar. Ex.: Alerto a todos que a próxima guerra será social.

à custa de ou a custa de. 

É locução prepositiva feminina, portanto se usa com crase. Ex.:



1) Lanço livro à custa de muito trabalho e esforço.

ab-rupto ou abrupto?



Ab-rupto, abrupto significa súbito, inopinado, repentino, áspero, rude. Ab-rupto, assim se escreve e se fala na norma culta. Abrupto também é usado e dicionarizado. 
Pl.: ab-ruptos,abruptos.

a alface ou o alface. Planta usada principalmente para salada. Deve-se usar como substantivo feminino, portanto, a alface, esta alface, etc. Exemplos:

1) Aquela alface está tão bonita que dá vontade de comer com os olhos.
2) Tem gente que gosta da alface molhada com azeite 




amanhecer o dia. 

Alguém já viu a noite amanhecer? Claro que só amanhece o dia, por isso evite esse pleonasmo, usando apenas amanhecer. 
Ex.: a) Hoje amanheceu com nuvens claras e límpidas. 
b) Amanheceu com aspecto suave e sombrio.

Nunca useHoje o dia amanheceu com nuvens claras e límpidas.

colocar minha opinião.

Opiniões não se colocam, se expõem ou se dão. Há também quem gosta de, ao final de um discurso, fazer uma colocação em vez de fazer uma exposição, que é muito mais coerente e elegante. O correto, então, seria escrever:



a) Quero expor minha opinião. 

b) Quero dar minha opinião. 

c) Preciso dar minha opinião.

colocar algo em seu devido lugar.

Se não for em seu devido lugar, não tem sentido colocar algo. Evite essa redundância, tautologia (v), esse pleonasmo, usando apenas uma ideia. Ex.:

1) Preciso colocar este livro na estante.


acarofobia. Medo mórbido de coceira ou de atrair sarna.



à cavalo ou a cavalo? Sempre que vier “a” diante de nome masculino, será simples preposição a, não admite, em hipótese alguma, a crase; portanto, a cavalo, a nadoa galope etc. Ex.:



1) Vou atravessar este riacho a nado.

2) Ela passou aqui montada a cavalo.

3) Ela monta e sai a galope.



ATENÇÃO! a cavalo num burro? Sincronicamente  se usa a cavalo quando se está montado em qualquer animal e até sobre um objeto. Ex.:



1) Ele vive montado a cavalo naquela moto velha.

2) Saiu em disparada a cavalo no burro.

Desculpem o transtorno ou desculpem-nos pelo transtorno? 



 O verbo desculpar é transitivo direto e indireto; ele possui dois objetos: um direto (sem preposição) e outro indireto (com preposição). Pode vir primeiro o o.d. ou o o.i. e vice-versa.  



Ex.: quem desculpa, desculpa alguém por alguma coisa. O objeto direto é sempre uma pessoa e o indireto é alguma coisa. O adequado seria escrever: Desculpem-nos pelo transtorno.

alerta,  alerto.



● Use alerta, invariável, significando em atitude de quem vigia, de vigilância; de sobreaviso; atentamente; de prontidão. Ex.:



1) Estar alerta à noite é mais do que necessário.

2) É preciso ficar alerta na minha casa e no Ceará.

3) Para continuar alerta, preciso não sentir muito sono.



● Use alertasvariável, significando atento, vigilante, alertadoEx.:



1) São pessoas alertas, pois isso tudo é possível.

2) Se estão alertas, não precisa mais lhes chamar a atenção.



● Use alerto somente como forma masculina do verbo

alertar. Ex.: Alerto a todos que a próxima guerra será social.

alisar ou alizar? Escreve-se com s, porque pertence ao radical de liso. Assim também como analisar, avisar, frisar, improvisar, paralisar, pisar, visar, que pertencem ao radical de, respectivamente, análise, aviso, friso, improviso, paralisia, piso, viso.


almoços (ô) ou almoços (ó). Este nome não aceita metafonia, ou seja, mudança de timbre no plural, portanto pronuncie com som fechado (ô) em mo-, tanto no singular como no plural.


aderir. Dar apoio, ligar-se, unir-se a. Ex.:

1) Todos aderem aos movimentos sociais.
2) Eu adiro às passeatas reivindicatórias.

Este verbo pertence ao grupo dos verbos em que o /e/ se muda em /i/ na 1ª pessoa do singular do presente do indicativo e em todo o presente do subjuntivo, bem como das formas imperativas derivadas dele. Ex.:

1) Adiro, aderes, adere, aderimos, aderis, aderem.
2) Adira, adiras, adira, adiramos, adirais, adiram.

N.B.: Verbos que se conjugam como aderir: ferir, deferir, diferir, inferir, interferir, preferir, proferir, referir, transferir. Todos fazem: firo, feres, fere, ferimos, etc.


acerca, a cerca ou há cerca?

● Use acerca como locução prepositiva equivalente a:
a) respeito;
b) relativamente a;
c) com referência a;
d) sobre; 
e) quanto a. 

Exemplos:

1) Falei pouco acerca de minhas últimas viagens.
2) Discutiremos o suficiente acerca deste assunto. 

● Use a cerca, como substantivo ou quando significar a uma distância Exemplos:

1) Minha casa fica a cerca de trinta minutos do colégio.
2) A cerca viva é sempre verde.

● Use há cercaquando o verbo haver indicar tempo decorridoExemplos:

1) Ele só quis discutir o assunto há cerca de duas horas.
2) Há cerca de dois anos preparamos esta obra.



bebedor ou bebedouro? Bebedor é aquele que bebe. O sufixo -dor designa o agente da ação de beber. Já bebedouro é o lugar onde se bebe. O sufixo -douro informa o lugar, o local. Esse uso  indevido de sufixos é muito frequente na linguagem popular. Exemplos:
1) Se sentirem sede, utilizem o bebedor que está na sala de recepção = uso indevido.
2) Se sentirem sede, utilizem o bebedouro que está na sala de recepção = correto.

ATENÇÃO!
a) babador em vez de babadouro;  
b) escorregador em vez de escorregadouro.



agora há pouco.
  
● Agora significa neste instante, neste momento, presentemente;

● Há pouco aqui significa tempo passado, tempo decorrido.

ATENÇÃO! Sendo assim, não devo usar agora há pouco, porque revela uma contradição entre este momento e o tempo passado, decorrido. Use apenas: agora ou há pouco, nunca as duas ideias juntas.



aonde, donde, onde?

● Use aondecombinação da  preposição a + onde:
a) com verbos que indicam movimento, direção, aproximação;
b) quando se opõe a donde;
c) equivalente a para onde;
d) ao ser substituído por a algum lugar ou em algum  lugar. Exemplos:

1) E nós, aonde vamos? (= E nós, para onde vamos? = E nós, vamos a algum lugar?).
2) Você vai descer aonde? (= Você vai descer para onde? = Você vai descer (aem algum lugar?).
● Use onde nos verbos que expressam algo estático, isto é, que não indicam dinamismo. Ex.:
1) Veja onde estão os bons alunos.
2) Onde há bons alunos, há bons professores.

● Use donde, combinação de preposição de + onde, quando:
a) se opuser a onde; for equivalente a de onde;
b) indicar procedênciaconclusão, podendo ser substituído por daí Ex.:
1) Donde tiramos o que comemos?
2) Este curso é prático, donde a indicação para o aluno.



Acarofobia e Agorafobia

Você sabia que o medo mórbido de coceira ou de atrair sarna chama-se acarofobia?

Você sabia que o medo mórbido e angustiante de lugares públicos e de grandes multidões ou de espaços abertos chama-se agorafobia? Antônimo: claustrofobia.


2ª a  6ª (sem crase) ou 2ª  à  6ª (com crase?).  Use sem crase, quando for precedido apenas de preposição, não aparecendo artigo. Exemplo: De 2ª a 6ª, trabalhamos pesado. Use com crase, quando precedido de da (preposição de + artigo a). Exemplo: Da 2a à 6a aula, todos prestam mais atenção.



am ou ão em final de palavra (foram, farão).

● Escreva com final -ão  em qualquer palavra oxítona com o som final /ão/.
● Escreva com final -am em qualquer forma verbal que não seja oxítona, com o som /ão/.
Ex.: 1) Todos farão o melhor possível para o país.
2) Todos foram o melhor possível para o país.
3) Que elas digam o que na verdade pensam.

ATENÇÃO! No caso do /ão/, não quer dizer que só admitem /ão/ se forem oxítonas, visto que há casos com som /ão/ em palavras não oxítonas. Exemplo: órfão. Se forem, porém, oxítonas e tiverem o som de /ão/, serão escritas como talObserve: Perdão; são; estão; anão.

● Aplicação: preencha corretamente em seu caderno os espaços sugeridos com ão ou am e dê a classe gramatical da palavra formada. Se for verbo, diga o tempo e o modo.

1) Diariamente, elas mostr____ o que fazem.
2) Todos encontrar___ a paz espiritual no novo milênio.
7) Já se sabe que eles and____ mal de saúde.
8) Não sou órf___, toco órg___ , mas vivo na solid___.
9) Bons professores não enrol____ seus diplomas.
10) Cubr____ meus lábios de carinho, porque antes cobrir____ de amenidades.



cessão, seção, sessão. 

Palavras homófonas. mesma pronúncia, mas significado e grafia diferentes. Cessão: ato de ceder. Seção (var. de secção): divisão; parte; repartição. Sessão: reunião; assembleia; duração de espetáculo. Exemplos:



1) A cessão do auditório foi bem aceita.

2) A loja tinha belas seções.

3) Vou ao cinema assistir à sessão das quatro.



de forma que, de modo que, de maneira que, de sorte que.

Estas locuções conjuntivas são usadas sem flexão em quaisquer circunstâncias. Ex.:

1) Fiz as questões de forma que os leitores usem bem melhor a língua do dia a dia.
2) Faremos vários exercícios sobre estes assuntos de modo que não tenham dúvidas no futuro.
3) ... “de maneira que o compadre por muito tempo não lhe pôde pôr a vista em cima”. (”Manuel Antônio de Almeida. Memórias de um Sargento de Milícias).

CUIDADO! As expressões de modos quede formas que e de maneiras que não são aceitas. Evite-as, portanto.
● Acento das paroxítonas:
Acentua-se a sílaba tônica das palavras paroxítonas (palavras com a sílaba forte na penúltima sílaba) terminadas por R, X, N, L (consoantes de rouxinol); I(s), US (vogais que sobraram das oxítonas); Ã(s); OM; ONS; PS; UM(UNS) e DITONGO ((seguido ou não de s, com dupla pronúncia, podendo ser classificado também como proparoxítonos aparentes). Ex.:

R → éter; câncer; caráter; repórter; fémur; fêmur; 
X → fênix; Félix; tórax; ônix; látex; córtex; índex;
N → cânon; próton; elétron; pólen; hífen; Nélson; plâncton; sêmen, sémen; xênon, xénon;
L e seu plural → fácil; provável; difícil; amável; têxtil; útil;
I (s)  → júri(s); lápis; tênis; cáqui; beribéri; jóquei; cútis;
U (US) → bônus; vírus; Vênus; Vénus; ônus, ónus; ânus; húmus; tônus, tónus;  
à (s)→ ímã; ímãs; órfã; órfãs;
ÃO (s) →sótão (s); bênção (s); órgão (s); órfão (s);
OM → iândom; rádom;
ONS→ prótons; elétrons; nêutrons;
PS   → bíceps; fórceps; Quéops; tríceps;
UM (UNS)→ álbum; álbuns; médium; fórum; fóruns;
DITONGO (s)     → órgão(s); frágeis; quisésseis; imóveis; órfão(s); bênção(s); Sônia; série; jóquei; volúveis; pônei(s); ignorância; árdua; tênue.

● Acento no e no U tônicos das palavras paroxítonas.
1) Acentuam-se I ou U se obedecerem a todos os  casos seguintes:
a) quando forem tônicos nas palavras paroxítonas não precedidas de ditongo decrescente;
b) formarem sílaba sozinhos ou seguidos de “s”;
c) não forem seguidas de nh;
d) vierem antecedidos de letra vogal diferente de si própria.

 Exemplos com acento: saída; saúde; daí; viúvo; cafeína; egoísmo; heroísmo; país; Luís; baú; gaúcho; Piauí; tuiuiús; Grajaú; aí; atraí-las; possuí-los-ás; Araújo; Ataíde; alaúde; amiúde; faísca; baía; cafeína.

● Exemplos sem acento: juiz ( o “i” não forma sílaba sozinho ); xiita (as duas vogais são iguais ); idem ( o “í” não vem antecedido de letra vogal ); bainha ( o “i” vem antes de “nh” ); miudeza ( o “u” não é tônico ); baiuca; feiura; (o “u” precede palavra paroxítona precedida de ditongo decrescente). Exemplos:

● Nos hiatos “OO” e “EE”. 1) Não se acentua mais a primeira vogal tônica dos hiatos “OO” e “EE”. Exemplos: enjoo; voo; zoo; magoo; perdoo; roo; moo; condoo; eles creem; eles deem; eles leem; eles veem.

● Acento do til.

1) O til é usado indicando nasalidade das vogais A e O e valerá como acento tônico, quando não houver outro acento na palavra. Exemplo:
a) Macarrão; propões; cãibra; põe; mãe.

2) Somente o til, como acento secundário, usado nas palavras primitivas, permanece na sílaba subtônica das palavras derivadas. Os demais acentos secundários foram abolidos pela Reforma Ortográfica de 1971. Exemplo:
a) vã (vãmente); irmã (irmãzinha), etc.  


Quando escrever "crê, crer; dá, dar; lê, ler; vê, ver; está, estar; ri, rir"? 

● Escreve-se com r, quando se pode substituir o verbo em questão por permaneceroferecer ou sinônimos no infinitivo.
● Escreve-se sem r, quando se pode substituir o verbo em questão por permaneceoferece ou sinônimos na 3a pessoa do singular, ou seja, sem rExemplos:

1) Ninguém está duvidoso = Ninguém permanece duvidoso.
2) Ninguém pode estar com dúvidas = Ninguém pode permanecer com dúvidas.
3) Ele só dá o que tem = Ele só oferece o que tem.
4) Ele só pode dar o que tem = Ele só pode oferecer o que tem.
5) O homem crê no dinheiro, na fama e na consciência. 6) Crer em ti é uma questão de sobrevivência.
7) Ela lê minha mão como se lesse meu coração.
8) Meus filhos gostam de ler romances.
9) O ser que vê a verdade encontra a paz eterna.
10) Todo mundo ri antes do tempo.
11) Quem quiser rir de mim que o faça à minha frente.

ATENÇÃO! Somente os verbos crêvê (crer, dar, ler, ver) e seus derivados são escritos na 3a pessoa do pl. com dois "ee" como creemdeemleemveem, descreem, desdeem, releem, reveem. 
● Acento das proparoxítonas.

1) Acentua-se a sílaba tônica de todas as palavras proparoxítonas (palavras que têm a sílaba forte na antepenúltima sílaba). Exemplos:

1) Mônica; fôssemos; límpido; cédula; lâmpada; fôlego; parágrafo; crédito; ótimo; rápido; místico; déficit; superávit (na última sílaba, subentende-se em “t”→ “te” com som “i”” ou → “ti”).

2) Incluem-se às proparoxítonas as palavras terminadas por ditongos crescentes que possuem dupla pronúncia, ainda que seja na fala. Podem-se denominar estas palavras em proparoxítonas eventuais, aparentes, acidentais, mutáveis. Exemplos com terminações em: 

ia: distância (s); glória (s); ignorância (s); Sônia;
ie: imundície (s); série(s); espécie(s);
io: lírio (s); vício(s); desperdício.

ua: régua; árdua;
ue: tênue;
uo: vácuo.

ea: área;
eo: espontâneo; argênteo.

oa; → mágoa; nódoa; amêndoa.

3) Proparoxítonas com dupla acentuação gráfica: São assinaladas com acento gráfico todas as palavras proparoxítonas reais ou aparentes, cuja vogal tônica, nas pronúncias cultas da língua, admite variantes (ê, é, ô, ó), portanto com dupla acentuação gráfica: Exemplos:

1) Cômodo, cómodo; gênio, génio; acadêmico, académico; efêmero, efémero; fenômeno, fenômeno; tônico, tónico; Antônio, António; gênero, género; etc. 

● Acento das oxítonas e dos monossílabos tônicos.

1)        Acentua-se a sílaba forte de todas as palavras oxítonas (palavras que têm a sílaba forte na última sílaba) e todos os monossílabos tônicos terminados por A,E,O, abertos ou fechados, seguidos ou não de “s”. Para memorizar, lembre-se das vogais do vocábulo paletó. Exemplos:

a(s) → maracá (s); dar + lo(s) = dá-lo (s); pá (s); fubá (s); babá (s); babalaô (s); vatapá (s); ananá (s); carajá (s); já;

e(s) → jacaré (s); através; pontapé (s); você (s); fez + la(s) = fê-la (s); pé (s); mercê (s); matiné (s), matinê (s) com (dupla grafia);

o(s) → paletó (s); compôs; avô(s); pôs + lo (s) = pô-lo (s); pó (s); totó (s); cocó (s), cocô (s) com (dupla grafia); jiló (s).

2) Acentuam-se as palavras oxítonas terminadas por EM, ENS, quando tiverem mais de uma sílaba com exceção da 3ª pessoa do plural do presente do indicativo dos verbos ter, vir e seus derivados, que são marcados com acento circunflexo;

em  → também; contém; contêm; têm(3ª pes. pl.); alguém; vintém; armazém; além; vêm (vir); convém; contêm;

ens → armazéns; parabéns; vinténs; haréns.

3) Incluem-se às oxítonas as formas verbais em que, depois de A,E,O, se assimilaram R,S,Z ao L dos pronomes LO, LOS, LA, LAS. Exemplos:

amá-la-ás*; sabê-lo; dispô-los; movê-lo-ia; trá-lo-ás*; sabê-lo-emos; dá-la; fá-lo; fá-los; amá-lo-íeis*; fá-lo-
-íamos*; pô-lo-ás. Note-se que o verbo no futuro poderá levar dois acentos.

4) Acentua-se a primeira vogal dos ditongos abertos ÉU; ÉI; ÓI, seguidos ou não de “s” das palavras oxítonas** e dos monossílabos tônicos. Exemplos:

ÉU: céu; chapéu; véu; **
ÉI: anéis; bacharéis; pastéis; **
ÓI: rói; rouxinóis; mói; constrói; herói; dói; Niterói. **

**Nunca nas paroxítonas: ideia; Coreia; hebreia; Galileia; jiboia; paranoico; estreia; europeia; heroico; assembleia.

5) Recebem acento agudo as palavras oxítonas cujas vogais tônicas são precedidas de ditongo. Exemplos:

1) Piauí, tuiuiús, tuiuiú, Minguaú (lugarejo do Ceará), Mundaú (Rio no Ceará que deu o nome de uma cidade praiana da zona oeste).

6)        Recebem acento agudo as palavras oxítonas cujas vogais tônicas são finais, seguidos ou não de s. Ex.:

1) baú; Esaú; saí; atraí (de atrair), caís (de cair); jacuí; Luís; país.

● Acento diferencial.
A) O acento diferencial pelo acento gráfico (de intensidade) deixa de existir (agudo ou circunflexo) nas palavras homógrafas paroxítonas. Exemplos:
1) coa, coas (verbo coar e subst.: coação, ato de coar) 2) para (verbo parar)  ≠ para ( preposição);
3) pela, pelas (v. pelar e substantivo: jogo, bola de   borracha, ato de pelar) ≠ pela(s){ comb. per + la(s) };
4) pelo (v. pelar), ≠ pelo ( comb. de per + lo); 4) pelo, pelos (subst.: cabelo, fio delgado) ≠ pelo {comb. de per + lo(s)};
5) pera ( subst.: fruta, interruptor elétrico ); pera (subst.: usada no composto pêra-fita: grande pedra fincada no chão; monumento de pedra) ≠ pera ( prep. arcaica, ainda de uso oral popular );
6) pero (subst.:fruta; variedade de maçã; nome dado aos portugueses pelos índios) ≠ pero (conjunção antiga);
7) pola, polas (subst.: sova, pancadaria) ≠ pola, polas {forma antiga de por + la(s) };
8) pola, polas (subst.: broto, galho pequeno) ≠ pola, polas { formas antigas de por + la(s) };
9) polo, polos ( subst.: extremidade, jogo) ≠ polo, polos1 {formas antigas de por + lo(s) };
10) polo, polos (subst.: gavião pequeno) ≠ polo, polos {forma antiga de por + lo(s) }.
EXCEÇÕES: 1) pôde (v. poder, pret. perf..) ≠ pode (v. pres. ind.); 2) pôr (v.) ≠ por (preposição).
CUIDADO! Os monossílabos ás (tônico, carta de baralho) ≠ as (artigo plural, átono) e más (advérbio, singular de má) ≠ mas (conjunção) se incluem ao grupo dos monossílabos tônicos, portanto não entram na regra das paroxítonas.
B) O acento diferencial morfológico é o que distingue a terceira pessoa do plural dos verbos ter e vir (e seus derivados) da terceira pessoa do singular. Exemplos:
1) ele tem ≠ eles têm;
2) ele vem ≠ eles vêm;
3) ele detém ≠ eles detêm; 4) ele provém ≠ eles provêm.
ATENÇÃO! Nas formas verbais em que acrescenta um pronome oblíquo (ver colocação de pronomes), deve-se ignorar o pronome e enquadrá-las normalmente às regras de acentuação. Exemplo:
1) Fi-lo (não acentuado); escrevê-lo; fá-lo-íamos (com dois acentos); pô-lo-ia; esperá-lo-íamos; amá-la-íeis; fá-lo-ás; pô-lo.
C) O acento diferencial de timbre foi abolido na Reforma Ortográfica desde 1971, com exceção da forma verbal pôde, já explicado e exemplificado no acento diferencial de intensidade.
crê, crer; dá, dar; lê, ler; vê, ver; está, estar; ri, rir. 

● Escreve-se com r, quando se pode substituir o verbo em questão por permaneceroferecer ou sinônimos no infinitivo.
● Escreve-se sem r, quando se pode substituir o verbo em questão por permaneceoferece ou sinônimos na 3a pessoa do singular, ou seja, sem r. Exemplos:

1) Ninguém está duvidoso = Ninguém permanece duvidoso.
2) Ninguém pode estar com dúvidas = Ninguém pode permanecer com dúvidas.
3) Ele só dá o que tem = Ele só oferece o que tem.
4) Ele só pode dar o que tem = Ele só pode oferecer o que tem.
5) O homem crê no dinheiro, na fama e na consciência.
6) Crer em ti é uma questão de sobrevivência.
7) Ela lê minha mão como se lesse meu coração.
8) Meus filhos gostam de ler romances.
9) O ser que vê a verdade encontra a paz eterna.
10) Todo mundo ri antes do tempo.
11) Quem quiser rir de mim que o faça à minha frente.

ATENÇÃO! Somente os verbos crêvê (crer, dar, ler, ver) e seus derivados são escritos na 3a pessoa do pl. com dois "ee" como creemdeemleemveem, descreem, desdeem, releem, reveem. 

Olhe! Ele crê. / Eles creem. Que ele dê. / Que eles deem. Ele lê. / Eles leem. Ele vê. / Eles veem.

abstêmio.

● Diacronicamente, significa aquele que se priva de vinho. Vem do verbo abster, do latim abstinere, cuja origem é abstemium (de temum, temetum, vinho) com o prefixo -abs, que exprime afastamento. Fem.: abstêmia.

●. Sincronicamente, significa o afastamento de qualquer bebida, de drogas, não apenas de vinho. Exemplos:

1) Há duas semanas faço abstinência de cerveja.                                                                                                                                                   2) O rapaz está em abstinência de drogas há meses.


abolir e seus análogosSignifica anular, suprimir. Conjuga-se abolir somente nas formas em que a terminação começa pela vogal -e ou pela vogal -iExemplos:

1) Ele abole os defeitos humanos. 

2) Abolimos o hábito de brigar.   

ATENÇÃO! Outros verbos como aboliraborrir, aturdir, balir, banir, bramir, brandir, brunir, carpir, colorir, comedir-se, compungir, convir (no sentido de ser conveniente, ser útil, impessoalmente; em outro sentido, é integral a conjugação), cumprir, descomedir-se, desmedir-se, delinquir, delir, demolir, detergir, desjungir, disjungir, emergir, esculpir, exaurir (admite os particípios exaurido e exausto), explodir (admite-se: expludo, explodes, etc), expungir, extorquir, fremir, fruir, fulgir, fundir (alguns dizem: fundo, fundes, etc), ganir, grunhir, haurir, imergir, impingir, insculpir, injungir, jungir, languir, latir, monir (com o significado de admoestar, avisar. Não confundir com munir, que se usa em todas as pessoas), nitrir, poir ou puir (podemos escrever puis, pui, puímos, puís, puem; puiapuias, etc., (pronominal: puí-a, puí-as, etc., escreve-se com -u ou com -o, mas a pronúncia é a mesma), pruir, pungir, refulgir, retorquir (profere-se o -u. No infinitivo, frequentemente ele não é pronunciado), ruir, tinir, turgir, ungir, urgir, usufruir, zunir.


voto de minerva.   Diz-se voto de Minerva, porque Orestes, filho de Clitemnestra, foi acusado pelo assassinato da mãe. No   julgamento, houve empate entre os acusados. Coube, então, à Deusa da Sabedoria da Mitologia Latina, Minerva, o voto  decisivo, que foi em favor do réu. Voto de Minerva é, portanto, o voto   decisivo que deve ser dado com sabedoria. Voto de desempate, concedido aos presidentes de corpos administrativosjudiciários, etc.; voto de qualidade, decisivo.

abaixo, a baixo. 
V. embaixo. Abaixo, junto, se opõe a acima: Em lugar menos elevado; Na parte inferior; Grito de reprovação. A baixo, separado, quando significar para baixo, em oposição a de alto. Exemplos:

1) O jurado mediu a miss de alto a baixo.
2) Outros assuntos serão encontrados abaixo.
3) Abaixo a corrupção! 


absolutamente. Significa completamente, ilimitadamente, inteiramente, de modo absoluto; de modo nenhum; de jeito algum; sem dúvida que sim; certamente que sim;

Atualmente este adv. passou a ser usado como partícula de reforço e outras vezes como simples negativa. É comum ser usado, na pronúncia, com uma 3ª tônica, incluindo um -i após a 1ª sílaba -ab (abisolutamente). Este procedimento é incorreto, porque se deve proferir o -b levemente (absolutamente). Exemplos.:

1) - O que se espera dos atuais políticos brasileiros? - Nada, absolutamente nada.
2) “Não permito absolutamente que você permita isso”. (AH, DHLP) = de jeito algum.
3) “Desejas passar?  — Absolutamente, minha senhora”. (AH, DHLP) = sem dúvida que sim.


absoluta correção.

● Absoluto tem sentido de uma palavra ou sintagma que se atualiza em um contexto muito definido, capaz de determinar a única interpretação possível ou a mais provável.

● Correção é o ato, processo ou efeito de corrigir; qualidade, atributo do que é correto. Tem sentido correção que não seja absoluta? Evite essa tautologia(V.), redundância, esse pleonasmo, usando apenas uma ideia. Exemplos:

1) Ele tomou a decisão com correção.
2) Ele tomou a decisão correta.

CUIDADO! É descabida a construção: Ele tomou a decisão  com absoluta correção.


aborrecer.

● V.t.d. No sentido de causar aborrecimento; sentir horror a; detestar; abominar; desgostar; contrariar; repelir com horror. Exemplos:

1) Eu entendo que aborreças tua amada.
2) “O homem deve aborrecer a injustiça.” (CA, DCLP).

● V.t.i. Pronome reflexivo, no sentido de ter aborrecimento, enfadar-se, anojar-se, enfastiar-se. Exemplos:

1) “Evidentemente, Virgília começava a aborrecer-se de mim, pensava eu.” (MA, MPBC)
2) “Passa-se um ano, o sedutor aborrece-se da companheira, abandona-a em um quarto de hotel.” (GR, LT in ABHF).

● V. int. Causar horror, aversão, tédio, aborrecimento, enfado. Exemplos:

1) “Os seus discursos aborrecem” (CA, DCLP)
2) “Mais dificultoso é aborrecer sem causa, que amar com razão.” (CA, DCLP).


absolver, absorver.

● Absolver significa declarar inocente; isentar de culpa; perdoar. Exemplo:
1) A morte não me absolverá, apenas fará com que os vivos reconheçam meus valores.
● absorver significa sorver, aspirar, embeber em si, recolher em si; consumir, exaurir, esgotar; requerer toda atenção de; engolir (comendo ou bebendo); aprender, etc. Exemplos:
1) A escritura deste livro absorveu um dos melhores momentos que tive como escritor.
2) Na sorveteria, absorvi duas bolas com belo sabor.


a distância ou à distância.

● Usa-se sem crase, quando a distância não vier determinada, visto que confirma o uso da simples preposição em. Ex.:

1) Quando ele viu a meninada a distância, parou de repente = Quando ele viu a meninada em distância, parou de repente

● Usa-se com crase, quando a distância vier determinada. Ex.:

1) Ele postou-se à distância de um tiro de baladeira.
2) “Lá estava o cão, dentro do cercado, deitado a distância de um alguidar de comida”. (Machado de Assis, Quincas Borba, 39)

NB.: Mesmo nestes casos, há grandes autores que usam sem crase, portanto a melhor opção é não usar crase, para evitar erros. Ex.:

1) “Lá estava o cão, dentro do cercado, deitado a distância de um alguidar de comida”. (Machado de Assis, Quincas Borba, 39)


acreditar.

● No sentido de admitir como certo, reconhecer como verdadeiro é transitivo direto, não aceita preposição. Normalmente o complemento direto é uma oração subordinada substantiva. Raramente é substantivo ou pronome. Ex.:

a) Poucos acreditam que a vida continua no Céu.
b) Não acreditar isso.
c) Acreditei a sinceridade.

● No sentido de confiar, crer, é normalmente transitivo indireto, sendo o objeto indireto um substantivo ou pronome regido da preposição em. Ex.:

1) Sou romântico, acredito no amor.
2) Quem acredita Nele está salvo do pecado.


aderir. Dar apoio, ligar-se, unir-se a. Ex.:

1) Todos aderem aos movimentos sociais.
2) Eu adiro às passeatas reivindicatórias.

Este verbo pertence ao grupo dos verbos em que o /e/ se muda em /i/ na 1ª pessoa do singular do presente do indicativo e em todo o presente do subjuntivo, bem como das formas imperativas derivadas dele. Ex.:

1) Adiro, aderes, adere, aderimos, aderis, aderem.
2) Adira, adiras, adira, adiramos, adirais, adiram.

N.B.: Verbos que se conjugam como aderir: ferir, deferir, diferir, inferir, interferir, preferir, proferir, referir, transferir. Todos fazem: firo, feres, fere, ferimos, etc.


vereador da cidade.

Não há vereador sem ser da cidade. Do estado é Deputado. Evite essa tautologia (v.), redundância, esse pleonasmo, usando apenas uma ideia. Exemplo:

1) Falei para os vereadores de Ipu que eles precisam ser atuantes.


parônimos. Quer dizer parecidos: são palavras parecidas na grafia, mas diferentes na significação. Exemplos:

1) Acender (atear fogo) > ascender (subir, elevar);
2) Ratificar (confirmar) > retificar (tornar reto, consertar);
3) Concerto (musical) > conserto (do verbo consertar).
4) Caçar (perseguir animais silvestres a tiro, a laço, a rede para matar ou aprisionar) > cassar (tornar nulo ou sem efeito; autorização; direito político; licença).

Muitas vezes a pronúncia popular é igual



abreviaturas no plural – 8h38min ou 8:38h? – (h, min, L, cm, km, m).

● Use h para hora ou horas, e use min para minuto ou minutos, etc. Use 8h38min sem ponto, com letra minúscula, sem esse para indicar plural e, logo após o número, sem espaço. Ex.:

1) 8h12min 8h55min - 8h30min 1h42min

ATENÇÃO! Com exceção de litro, que se escreve após um espaço e, segundo o Sistema Internacional de Unidades, com "L maiúsculo", os símbolos de unidade de medida são escritos como a explicação acima, sem ponto, sem esse e logo após o número, sem espaço.

Veja:
1) 4cm 4h 4km/h 4mm 4km 4kg 4m (pela ordem: centímetro, s; hora, s; quilômetro, s por hora; milímetro, s; quilômetro, s; quilo, s; metro, s.
2) 40cm 40h 40km/h 40mm 40km 40kg 40m 3) 100cm 100h 100km/h 100mm 100km 100kg 100m

ATENÇÃO! 4 L 40 L 100 L (representa litro e há espaço entre o número e o "L").  Não há plural das abreviaturas.

● CUIDADO!  Não há plural das abreviaturas: 4 L 40 L 100 L (representa litro e há espaço entre o número e o "L"). 


abusar demais. Abusar já é demais, por isso evite essa tautologia (v.), redundância. Use apenas a ideia abusar. Exemplos:

1) Abusava de perfumes.
2) Não use: Abusava demais de perfumes.


catedral da sé. Toda catedral é Sé e vice-versa; ambas formas significam a principal igreja de um bispado, por isso apenas Sé ou apenas Catedral. Exemplo: Demorado como a construção da Sé de Fortaleza.

obedecer.
● transitivo indireto no sentido de submeter-se à vontade de; executar, cumprir as ordens de; estar sob a autoridade de; ceder. Exemplos:
1) Os filhos de hoje não obedecem aos pais como deveriam.
2) Há países que obedecem à Rússia; outros, aos EUA.
● transitivo direto: esta regência não é aceita por grandes conhecedores da língua. Exemplo:
1) Tudo o que  meus pais me ensinaram cultivo e obedeço.
● pronominal no sentido de ceder à consciência, à razão. Exemplo:
1) “Obedecer-se a si mesmo” (Constâncio apud Francisco Fernandes, Dicionário de verbos e regimes).
a maioria de, a maior parte de, grande parte de, parte de + nome no plural.

● Uma frase com sujeito representado por uma das expressões acima, acompanhado de nome no plural, o verbo fica no singular, concordando com uma das expressões acima ou no plural, concordando com o nome plural. Exemplos:
1) A maior parte dos homens expressam a verdade.
2) A maior parte dos homens expressa a verdade.
3) A maioria das mulheres preferem homens mais velhos do que elas.
4) A maioria das mulheres prefere homens mais velhos do que elas.

mais de um saiu ou saíram?  

Com mais de um, o verbo fica, geralmente, no singular. Exemplos:

1) Mais de um menino foi atropelado nesta avenida.
2) Mais de uma mulher já amoleceu meu coração.

ATENÇÃO!

1) Quando o verbo indicar reciprocidadea ideia passa a ser de plural, assim o verbo irá para o plural. Exemplo:

a) Mais de um dos conferencistas se entreolharam no mesmo instante.

2) Se não for mais de um, todavia mais de doismais de três, etc., o verbo irá par o plural. Exemplo:

a) Mais de dez alunos saíram da sala.



aludir, acordar, avultar, confraternizar, desabafar, escorregar, estourar, ingressar, privar, rivalizar, sobressair.

● Use aludir, escorregar, estourar, acordar, avultar, confraternizar, ingressar e privar sem pronome.

ATENÇÃO! Dizendo escorreguei-me na escada, está inadequado, pois o verbo escorregar não é pronominal, sendo, portanto, correto o emprego de escorreguei na escadaExemplos:
1) Ela escorregou na casca da banana.
2) Cuidado para não escorregar no chão liso.
3) Acordei muito cedo hoje.
4) Aludimos à guerra do Oriente Médio.
5) A rádio alfa avulta entre as melhores do país.
6) O Presidente confraternizou o Primeiro Ministro.
7) Ao desabafar, ela me deu um bofetão.
8) O balão estourou rapidamente.
9) Ingressei muito cedo no magistério cearense.
10) Privei com os maus para conhecer os bons.
11) Em talento e sabedoria, Ricardo rivaliza com seu primo mais novo.
12) Zico foi o jogador que mais sobressaiu no jogo. 



faz-se unhas ou fazem-se unhas? vende-se casas ou vendem-se casas?

Sempre que você usar verbo + se + nome sem preposição, o verbo concorda com este nome, que funciona como sujeito e o se funciona como índice de indeterminação do agente da passiva. Logo, o correto é:

1) faz-se unhafazem-se unhas;
2) vende-se casavendem-se casas;
3) aluga-se apartamentoalugam-se apartamentos.

N.B.:
1) Em todos estes casos acima, o nome funciona como sujeito, por isto o verbo concorda com ele.
2) Se o nome vier com preposiçãonão haverá a concordância, o nome não será sujeito e o se será índice de indeterminação do sujeitoEx.:

1) Precisa-se de bons exemplos.
2) Necessita-se de costureiras.



aceitado ou  aceite?

● Com os verbos auxiliares ter e haver, deve-se dar a preferência ao uso do particípio regular aceitado. O mesmo deve ser feito com outros verbos que aceitam dois particípios.  Ex.:

1) Se tivesse me dito isso, eu não tinha aceitado o exemplo dado.
2) Já havia aceitado, quando surgiu outra proposta melhor, mas mantive a palavra.

● Com os verbos auxiliares ser, estar, etc, deve-se dar preferência ao uso da variante de particípio irregular aceite, de aceitar. Ex.:

1) Ela foi aceite com seus defeitos.
2) Está aceita a proposta.

ATENÇÃO! Outros verbos com duplo particípio em uso aceito: afligido, aflito; corrigido, correto; pagado, pago;



acender, ascender. São palavras homófonas, têm a mesma pronúncia, mas escrita e significados diferentes. Acender: por fogo; queimar; atear; inflamar; animar. Ascender com ‘sc’: subir; elevar-se; atingir certo valor, custo ou patamar. Exemplos:

1) Cuidado ao acender o cigarro!
2) Procuro ascender mais e mais na profissão.
3) Os preços tiveram grande ascensão.



Neste dia Internacional da mulher, um lembrete:

filha mulher, filho homem. Evite essa redundância, porque filha já é feminino, mulher; filho já é masculino, homem; então, dizer filha mulher ou filho homem é um vício desaconselhável, visto que não é possível uma filha homem, nem um filho mulher. Exemplos adequados:

1) Anny Krys sempre quis uma filha.
2) O Alley Kerth deseja um filho.

Nunca diga filha mulher, nem filho homem.



concordo em gênero, número e grau.

A concordância verbal se dá em número e pessoa e a nominal em gênero e número, portanto não se pode concordar com alguém em grau. A frase acima é inaceitável. Você pode concordar em gênero e número ou em número e pessoa ou em gênero, número e pessoa. Ex.:

1) Concordo com você em gênero, número e pessoa.


abolir e seus análogos.



Significa anular, suprimir. Conjuga-se abolir somente nas formas em que a terminação começa pela vogal /e/ ou pela vogal /i/Exemplos:



1) Ele abole os defeitos humanos. 

2) Abolimos o hábito de brigar.   



ATENÇÃO! Outros verbos usados como abolir: aborrir, aturdir, balir, banir, bramir, brandir, brunir, carpir, colorir, comedir-se, compungir, convir (no sentido de ser conveniente, ser útil, impessoalmente; em outro sentido, é integral a conjugação), cumprir, descomedir-se, desmedir-se, delinquir, delir, demolir, detergir, desjungir, disjungir, emergir, esculpir, exaurir (admite os particípios exaurido e exausto), explodir (admite-se: expludo, explodes, etc), expungir, extorquir, fremir, fruir, fulgir, fundir (alguns dizem: fundo, fundes, etc),  ganir, grunhir, haurir, imergir, impingir, insculpir, injungir, jungir, languir, latir, monir (com o significado de admoestar, avisar. Não confundir com munir, que se usa em todas as pessoas), nitrir, poir ou puir (podemos escrever puis, pui, puímos, puís, puem; puia, puias, etc., (pron. Puí-a, puí-as, etc., escreve-se com u ou com o, mas a pronúncia é a mesma), pruir, pungir, refulgir, retorquir (profere-se o u. No infinitivo, frequentemente ele não é pronunciado), ruir, tinir, turgir, ungir, urgir, usufruir, zunir.



● Aplicação: ponha C ou E em seu caderno para as frases certas ou erradas:



1) (  ) Eu abulo os defeitos dos outros.

2) (  ) Todos abolem o que prejudica à saúde.

3) (  ) Nós abolíamos as más companhias.

4) (  ) Eu abolia e ela também abolia a má leitura.

5) (  ) Eu aboli a massa de minha refeição.

6) (  ) Eu coloro meus cadernos.

7) (  Abula tudo agora.

8) (  ) Espero que ele abula mesmo.


a casa ou à casa?

● Usa-se a casa, sem crase, quando se usa no sentido de lar, domicílio, porque neste caso dispensa o artigo como estava em casa, saiu de casa, voltou para casa, etc. Ex.:

1) Fui a casa buscar a chave do carro.

● Usa-se à casa, com crase, quando se determina o nome casa ou quando se trata da construção, de estabelecimento comercial, de plenário de congresso ou agremiação. Ex.:

1) Irei à casa do meu irmão.
2) Voltarás à casa onde nasceste?
3) Muitos políticos não deveriam pertencer à casa do povo.
4) Fui à casa de meu irmão buscar a chave do carro.


abertura inaugural. Se você inaugura algo, você abre, logicamente; portanto abertura já significa inaugural. Evite essa tautologia (v.), redundância, usando apenas uma ideia. Ex.:

1) Use: Abertura do evento.
2) Não use: Abertura inaugural do evento.


● Use há, quando indicar tempo decorrido, passado; equivalente a faz; ou quando verbo haver no sentido de existir. Exemplos:

1)            Não a vejo  mais de uma semana. = Não a vejo faz mais de uma semana.
2)             muitos torcedores no estádio. = Existem muitos torcedores no estádio.

 ● Use a, quando indicar tempo futuro; indicar distância, medida; quando admitir substituição por em ou com. Exemplos:

3) Eu confessarei tudo daqui dez dias (tempo futuro).
4) Minha casa fica a duas quadras daqui (distância, medida).
5) Minha casa fica a três km do centro (distância, medida).
6) Estarei aqui a tempo para assinar o documento (em tempo, com tempo). 

para eu fazer ou para mim fazer
● Se o pronome que vier depois da preposição e antes do infinitivo for sujeito, este pronome não poderá ser tônico (mim, ti, si), mas pronome pessoal reto (eu, tu, etc). 
Exemplo:
1) Isto é para eu fazer = Isto é para que eu faça. Nunca use: Isto é para mim fazer.                      2) Isto é para eu levar.  = Isto é para que eu leve. Nunca use: Isto é para mim levar.

●             As formas metese são átonas, não aceitando, preposição. Exemplos:

1) Deixe-me assim mesmo: triste, sensível e sensual.
2) Deixe-me levar seu pacote, porque deve estar pesado.
3) Não te quero mais, ainda que me peças perdão.
4) Não se pode reclamar nada neste país; ninguém escuta.

●             As formas mimtisi são tônicas, só empregadas com preposição. Exemplos:

1) Isto é para mimNão use: Isto é para eu.
2) Eu me refiro a tiNão use: Eu mim refiro a te.
3) Ame a si mesmo e tudo bem!

xenofobia.
Medo ou aversão a estrangeiros ou a coisas estrangeiras.
zigue zague.
S.m. Escreve-se sem hífen.
zíper.
S.m. Tem como pl. zíperes; significa fecho ecler; zipe.
zoofobia.
Medo de animais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário