segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

      A Indústria de Água Mineral Acácia, localizada no distrito de Várzea do Giló, região serrana do município de Ipu (CE), continua com trabalho de reflorestamento das margens do Riacho Ipuçaba.
      O proprietário da empresa, Prof. Luís Pessoa Aragão, recebeu a nossa reportagem para mostrar e explicar como está sendo feito o trabalho de reflorestamento nas margens do Riacho Ipuçabam a partir da nascente localizada no sítio São Paulo, divisa dos municípios de Ipu e Guaraciaba do Norte.
      O trabalho teve início em agosto do ano passado e teve parceria com a Secretaria de Meio Ambiente do Estado do Ceará (SEMA), por meio da gestão da Área de Proteção Ambiental da Bica do Ipu. (reveja a matéria).
1ª etapa cultivo de monocultura
      Nas imagens acima, a terra sendo preparada para a monocultura sem cobertura vegetal. As águas das chuva escoam rapidamente para o riacho levando areia e os nutrientes. Dessa forma, assoreando o leito do rio. Por isso o motivo das enchentes no riacho e em seguida ele seca por não há uma retenção da água na mata ciliar.
      A faixa de conservação da mata ciliar é de 30m das margens do Riacho (Lei nº 7.803 de 17/07/1989).
2ª etapa sucessão primária
      No segundo momento, aparece a sucessão primária de vegetais, ou seja, aparece as primeiras plantas que vão servir de suporte e sombreamento para as as plantas que foram plantadas para o reflorestamento, desse modo já havendo uma retenção pouca na água da chuva e a partir daí começa a proteção do sol e a retenção da matéria orgânica e a retenção da água.

Pau Brasil
      Nessa fase, foram replantadas várias espécies de árvore, por exemplo: Ipê Amarelo (Handroanthus Albus), Cedro (Cedrus), Mutamba (Guazuma Ulmifobia), Pitomba (Talisia Esculenta), Aroeira (Astronio SP), Pau Brasil (Caelsalpinea Echinata), Jucá (Caelsapinea Ferrea), Angico (Anadenanthera Colubrina), Jatobá (Hymenaea Courbaril), Barriguda (Caiba Glaziovi), Azeitona (Olea Europaea),  Ingá (Ingá Edulis), Pequi (Caryoccar Brasiliense), Jenipapo (Genipa Americana), entre outras espécies, perfazendo um total de 583 (quinhentos e oitenta e três) arvores plantadas.

3ª etapa Cultivo Consorciado

      Nessa terceira etapa, de acordo com a explicação do professor, foi feito o cultivo consorciado, entre as espécies plantadas. Para aproveitar o espaço entre uma e outra, foi feito um cultivo consorciado com as plantas nativas como por exemplo o maracujá. Dessa forma você faz durante no mínimo três, quatro ou cinco anos, tirando algumas frutas para substituir para uso pessoal. Nesse caso, não se perde a terra, durante o período grande.


fim do clico com o surgimento da mata ciliar
      No quatro e último momento, o Maracujá, como o ciclo de vida é pequeno, ele morre e fica só a vegetação, que foi plantada que mais tarde vai formar a mata ciliar às margens do riacho Ipuçaba. Fonte: IN.

Jucá espécie plantada na área
Ipê amarelo

As mudas são produzidas na própria indústria
Aroeira